28 setembro 2018

[ASSIM COMO EU ] Então acabou...

635987905949467041-1951902596_ps


"Acordei pela manhã e fiz o mesmo ritual de sempre: levantar, escovar os dentes, preparar o café. Ainda era a mesma casa, ainda era o mesmo cheiro nos lençóis. Então por que ele mudou? Por mais que procure em minha memória não encontro o exacto momento em que ele soltou minha mão."

Este foi um desabafo de uma amiga após o fim doloroso de mais um relacionamento. Porém, dessa vez ela estava diferente. Existia uma angústia e um olhar perdido que eu nunca havia visto. Era como se algo dentro dela estivesse quebrado, existia um sentimento de que ela havia fracassado em algum ponto.

 O que me leva a pensar, por que uma mulher linda e inteligente como ela poderia crer que fracassou? Porque constantemente entramos em relações que nos magoam ou pensamos que somos culpadas de algo? Freud fala sobre o complexo de édipo, que ocorre por volta dos quatros anos de idade quando a criança percebe que o pai e a mãe tem um ao outro, então ela sente que não faz parte. Embora seja ainda uma criança, ela já tem essa percepção. Segundo Freud a partir desse momento surge a primeira rejeição. E durante toda a vida vamos somando rejeições. É aí que começa as duvidas e desconfianças, tudo é motivo para sentir-se rejeitada.
Quando viramos adultas o comportamento é acentuado por outras pessoas que estão em nosso meio.
- Mas ele foi embora - disse ela mais para si própria do que para outra pessoa.
- Sim ele foi, e o que vocês tiveram vai ficar nos lençóis e em cada parte da casa, você provavelmente irá ter esta lembrança por muito tempo." E sim, irá doer." Só então você irá se refazer e seguir em frente.

2


Não há receita pronta para superar uma rejeição, e principalmente amorosa.
(Opinião minha) A mulher geralmente se coloca como vilã da história.
O que é dito por alguns especialistas é que nesse caso pode levar mais tempo para superar o fim da relação.
 O exercício do auto-conhecimento é o mais assertivo nessas horas. Reconstrua-se! Aproveite esta vivência e use este turbilhão emocional para tirar informações a seu próprio respeito. Você deve estar fazendo e sentindo coisas que não tinha feito antes e provavelmente não se reconhece.
Essa é a hora de saber mais sobre si mesma.
Sabe aquele olhar perdido que falei da minha amiga? Talvez não fosse perdido, talvez fosse um começo, por que dos começos ainda não se sabe nada. Por que eles vêm depois do FIM!!!!


Design por Amanda
[ voltar para o topo ]