04 novembro 2017

[Bruaca na Rua] A literatura que te tira do tiro da viatura!


Tempo integral


 A verdade é que o período integral nas escolas vai muito além de simplesmente oferecer um local para que os estudantes passem tempo com a devida supervisão. Essa modalidade reorganiza completamente espaço e conteúdos, reestruturando a rotina dos alunos. É um tempo dedicado às atividades extraclasse, que contribuem para o desenvolvimento intelectual e social das crianças e jovens, além de despertar seu interesse para diferentes áreas. Com isso, os alunos acabam desenvolvendo mais atenção e interesse nas disciplinas que cursam no horário regular. Isso sem contar que também criam responsabilidade com materiais, horários de estudo e várias outras tarefas.
E para uma maior compreensão da oferta desse formato, é necessário a melhoria da qualidade de ensino da rede pública, e uma ampla compreensão do Conceito de educação integral. Em nosso estado já existe algumas escolas implementando este modelo. No qual, cada aluno tem cinco tempos eletivos por semana que visam diversificar o currículo e oportunizar a construção do itinerário formativo de acordo com seus interesses e projeto de vida no decorrer do ensino médio. Sendo ofertadas 45 horas/aulas semanais e nove tempos diários com disciplinas da base comum, diversificada e opcional (eletiva). 


Literatura marginal


Nós tivemos a oportunidade de ver de pertinho uma dessas eletivas. No Colégio Estadual Presidente Humberto Castelo Branco, chamada: literatura marginal, quem esta a frente é a professora Tuyra Maria, que gentilmente nos convidou para prestigiar o momento. Na altura estava o escritor Talles Azigon lançando seu livro SARAL. Em sua palestra o escritor falou sobre temas que permeiam, e muitas vezes são polemizados na nossa cultura. Era visível o interesse dos alunos nos assuntos abordados. Ao final, os alunos expõe textos autorais, creio este ser o ponto alto desta eletiva. Este tipo de literatura causa um certo desconforto para quem escuta, e assiste uma apresentação pela primeira vez
Na escrita, os autores das obras são marginalizados por uma sociedade que não lhes dão ouvidos ou voz para falar e, encontraram na forma de escrever, um modo de mostrar sua revolta e busca por reconhecimento social e racial. Entretanto, ver esses jovens debatendo estes assuntos, de uma forma lúcida, e ainda se expressando de uma forma tão aberta, é de encher os olhos!


Desafios


Conversamos com o professor e coordenador Teobaldo Rodrigues, que nos fala a respeito das dificuldades e desafios deste novo momento para educação, assim como os seus benefícios. Segundo o mesmo, o maior desafio é a evasão escolar. Como este é o primeiro ano da escola neste sistema, alguns alunos ainda oferecem resistência em permanecer todo  o período na escola. Além da infra-estrutura que estar se adequando, para melhor atender a todos.  A sua avaliação sobre estes meses de implementação, mostra-se bastante otimista. Além de ser tudo muito novo para ambas as partes, porém, os benefícios para sociedade no futuro, será ainda maior.


Sendo assim, ter jovens  na escola por mais tempo, não é questão de "ocupar o tempo dos mesmos". E sim, formar adultos lúcidos, que saibam lidar com suas escolhas, e os resultados delas. Educação em tempo integral é diferente de educação integral. Uma prioriza o tempo, o outro, o ser que aprende. Propostas como da professora Tuyra, faz estes jovens ter um sentimento e o desejo de melhora. A frase que compõe este artigo, foi tirado  desta eletiva. A cada apresentação todos à gritavam. Com isso eles mal sabem, que estão afirmando isso para si como sentença de boa sorte. E que realmente a literatura tem um poder maior nas pessoas que tem esse desejo de mudança!!



Design por Amanda
[ voltar para o topo ]