19 julho 2016

[Resenha] Como Eu Era Antes de Você

Título: Como Eu Era Antes de Você
Autora: Jojo Moyes
Editora: Intrínseca
Páginas: 368
Ano: 2015






Em Como eu era antes de você, Lou Clark é uma jovem cheia de vida e espontaneidade que sabe uma porção de coisas. Ela sabe quantos passos separam sua casa do ponto de ônibus. Sabe que adora trabalhar como atendente em um café e sabe que provavelmente não ama seu namorado Patrick. O que Lou não sabe é que está prestes a perder o emprego e que isso a obrigará a repensar toda sua vida. Will Traynor, por sua vez, sabe que o acidente com a motocicleta tirou dele a vontade de viver. Ele sabe que o mundo agora parece pequeno e sem graça, e sabe exatamente como vai dar um fim a tudo isso. O que Will não sabe é que a chegada de Lou vai trazer de volta a cor à sua vida. E nenhum deles desconfia de que esse encontro irá mudar para sempre a história dos dois. 






"Quem eu era antes de ler este livro? O que pensava antes de conviver com estes personagens?". Sempre que o via em alguma livraria, fugia, principalmente quando me deram o final dele sem que ao menos pedisse(tenho horror a spoiler). Não tenho pretensão de fazer só uma resenha deste livro, queria mais, quero dividir com vocês como esta leitura pode ser rica, se for lida de maneira certa e não estou aqui querendo sugerir que a minha maneira é a certa, porém, queria lhes provocar assim como a autora Jojo Moyes fez comigo!
Poucas coisas ainda me fazem feliz, e você é uma delas.

 A história começa com Louise (chamada carinhosamente de Lou) com vinte seis anos, não fez faculdade, adora o trabalho em que está e ela se sente presa na cidade onde nasceu e cresceu, entretanto, nunca quis sair da mesma. Está em um relacionamento complicado que não a deixa segura ou totalmente amada. Uma mulher que carrega vários medos por isso nunca se arrisca, tem medo de viver algo além do que conhece, então segue sempre uma rotina que a deixa aparentemente "segura". Essa forma de viver reflete no seu modo de agir no trabalho e em seus relacionamentos tornando assim, sua vida muito previsível. Aliado a tudo isso tem o fato de sua família estar passando por problemas financeiros e depender assim do salario das filhas para ajudar nas despesas da casa. A autora usa todos esses elementos para unir Lou a vida de Will. Um advogado bem sucedido, aventureiro, com sede e ganância de viver. Muito curioso adorava saber e conhecer de tudo. Era o tipo que amava se arriscar. Porém, sofre um acidente que o deixa tetraplégico e, sabendo que seu caso é irreversível, ele entra em uma espécie de "bola de depressão", afastando sua família e todos seus amigos. De repente, ele vê tudo que sempre amou sendo arrancado e ainda parar em uma cadeira de rodas, é  mais  do que ele pode aguentar. Quando Lou perde o emprego e  não têm  qualificação nenhuma para um trabalho melhor ,e tendo visto as possíveis vagas, não tinha mais opções, foi quando surgiu esta de ser cuidadora que para ela, dava medo por não ter experiência alguma. Eles no primeiro momento (e vários momentos depois haha) não foram um com a cara do outro, porem é impossível que com a convivência diária eles não criassem algum vínculo. O tempo foi passando eles foram pouco a pouco se descobrindo.
A partir desse ponto é lógico que, o leitor acredite que a alegria de Lou e o laço que os unem seja mais forte e vire um clichê (e têm vários) de romance sessão da tarde. Mais não!!. E isso é maravilhoso. A historia é mais que isso. Podemos perceber como a vida da senhorita Clark vai mudando durante toda esta convivência diária. Como o Will ao olha-lá de maneira certa, não a podou nos seus gostos e costumes. Entretanto, ele a empodera a ser quem é, ele a provoca a sair da sua zona de conforto e ampliar seus horizontes. Muitas vezes é isso que acontece, desistimos de nós mesmos e, cremos que está bom do jeito que está e pronto. O que o Will faz com esta personagem é surpreendente, e isso não acontecem só com ela, o impacto é ainda maior em quem lê. O livro ainda traz a questão da morte assistida, porém, a autora soube trazer o assunto a discussão de uma forma que cada leitor terá que tira suas próprias conclusões, se está certo ou não. Minha sugestão é que você leia esta obra de cabeça aberta e, entenda a posição de cada personagem na historia, muitas vezes julgamos e não entendemos a dor que o outro está passando. Afinal só se vive uma vez. É sua obrigação aproveitar a vida da melhor forma possível!!



         





Design por Amanda
[ voltar para o topo ]