10 junho 2016

[Resenha] Perdida

Título: Perdida
Autora: Carina Rissi
Editora: Verus
Páginas: 364
Ano: 2011

Sequências: 2º Encontrada - 3º Destinado
Perdida é o título de estreia de Carina Rissi, agora relançado pela Verus. Este e o segundo livro da autora, Procura-se um marido, compõe uma produção breve porem já de fôlego, estabelecendo Carina como uma das novas escritoras mais queridas entre leitoras de todas as idades.   






Sofia vive em uma metrópole e está acostumada com a modernidade e as facilidades que ela traz. Ela é independente e tem pavor à mera menção da palavra casamento. Os únicos romances em sua vida são aqueles que os livros proporcionam. Após comprar um celular novo, algo misterioso acontece e Sofia descobre que está perdida no século dezenove, sem ter ideia de como voltar para casa – ou se isso sequer é possível. Enquanto tenta desesperadamente encontrar um meio de retornar ao tempo presente, ela é acolhida pela família Clarke. Com a ajuda do prestativo – e lindo – Ian Clarke, Sofia embarca numa busca frenética e acaba encontrando pistas que talvez possam ajudá-la a resolver esse mistério e voltar para sua tão amada vida moderna. O que ela não sabia era que seu coração tinha outros planos…




Sofia é uma garota de 24 anos extremamente viciada em tecnologia, porém, independente e trabalhadora, o que reflete bem uma típica mulher do século XXI. Uma noite na balada com seu amigos, Sofia acaba deixando cair o celular dentro da privada do bar (sim ela estava bêbada kkk) e acaba por ficar desesperada em comprar um novo. Após comprar um novo celular (que aliás foi estranho de mais) algo misterioso acontece e por obra do destino Sofia encontra-se perdida no século XIX. Sem fazer a menor ideia de como voltar para casa. 
Desnorteada, sem rumo e sozinha é quando Sofia conhece Ian Clarke um completo cavalheiro (lindo e apaixonante aliás), que lhe acolhe e lhe ajuda em sua busca para sua tão amada vida moderna. O que Sofia não esperava era seu coração lhe daria outro rumo...
“Como as pessoas conseguiram viver sem o computador por tanto tempo? — pensei. Levaria dias para que eu conseguisse colocar em ordem os meus e-mails, minha conta no Facebook e, bem provável, não conseguiria ler todas as postagens no Twitter. Teria que fazer isso assim que chegasse em casa. Ficar sem internet era como se eu deixasse de existir, não fizesse mais parte do mundo. Completamente isolada virtualmente.” Pág. 12
O livro tem uma escrita muito gostosa de se ler e flui muito bem, um pouco previsível, porém, o desenrolar da historia é um tanto fascinante. 
Amei os personagens. Principalmente Ian, Elisa e até mesmo Stron o cavalo (que tem um papel fundamental nessa trama). A leitura é maravilhosa e você acaba mergulhando de cabeça na hilária história de Sofia (me diverti bastante com esse livro). 
Apaixonante, fascinante e encantador. Essas palavras definem muito bem (sem falar que Adoraria um Ian Clarke na minha vida rsrsrsr). Mal posso esperar pela continuação. 


Design por Amanda
[ voltar para o topo ]